Minha Casa Minha Vida (Como Funciona, Inscrição e Simulador)

Você sabe como participar e se cadastrar no programa? Esclarecemos tudo sobre o assunto nessa página!

O sonho da casa própria parece ser um desejo compartilhado por boa parte dos brasileiros. Sair da sombra dos pais, ter o próprio canto, fugir do aluguel e formar uma família são apenas alguns dos motivos para a busca da concretização desse projeto.  Segundo a presidente Dilma Rousseff, o programa tem como meta a construção de 3 milhões de moradias até o ano de 2017.

Como Funciona o Minha Casa Minha Vida

Minha Casa Minha VidaEm linhas gerais, o programa, lançado em abril de 2009 pelo Governo Federal, oferece descontos e vantagens para famílias que ganham até R$ 5.000 por mês como, por exemplo, a redução no valor dos seguros habitacionais. O beneficiado também conta com a possibilidade de usar o seu Fundo de Garantia do Tempo de Serviço – FGTS – como parte do pagamento e pode financiar a compra do imóvel em até 30 anos.

Outra grande vantagem do programa é que você terá cobertura pelo Fundo Garantidor de Habitação Popular – FGHAB – que assegura o cliente em caso de perda de capacidade de pagamento, como desemprego ou perda de renda. Para ter direito ao seguro e manter as parcelas em dia, é preciso, apenas, comprovar a situação a cada três prestações.

Numa parceria com a Caixa, o programa oferece ainda diferentes opções de financiamento e pode ser utilizado tanto para a compra de um imóvel novo ou na planta quanto para a construção da casa do jeito que você sempre sonhou. As taxas de juros vão de 5% à 7,5% e pode comprometer até 20% da renda familiar.

Na qual taxa de juro minha família se encaixa?

  • Famílias que ganham entre R$ 465 e R$2.455,00: Juros de 5% ao ano;
  • Famílias que ganham entre R$ 2.455,01 e R$ 3.275,00: Juros de 6% ao ano;
  • Famílias que ganham entre R$ 3.275,01 e R$ 5.000,00: Juros de 7,16% ao ano.

Moro na zona rural, as taxas são as mesmas?

Já para quem mora na área rural o programa oferece soluções baseadas na renda bruta anual e está dividida em três faixas:  até 15 mil reais, até 30 mil reais e até 60 mil reais.

Como faço para participar do programa?

Primeiro de tudo, você faz uma simulação através do Simulador Habitacional da Caixa e descobre quanto vai precisar para comprar o seu imóvel. Em seguida, confere a documentação necessária que deverá levar ao banco e, após a aprovação do seu cadastro, você fica sabendo quais são as condições permitidas para a compra. Há, ainda, a avaliação do imóvel e, claro, a assinatura do contrato.

Prédios do Minha Casa Minha Vida
Já as famílias que tem renda de até R$ 1.600,00 devem realizar uma inscrição no Minha Casa Minha Vida através da Companhia Metropolitana de Habitação – COHAB –  ou da prefeitura da cidade participante e aguardar os sorteios do programa. É preciso, no entanto, ficar atento as datas de lançamento em cada região, consultando, sempre que possível, os órgãos oficiais do município.

Em 2014, os estados participantes são Acre, Ceará, Mato Grosso, Bahia, Goiás, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal, Pará, Amazonas, Paraná, Paraíba, Piauí, Pernambuco, Espírito Santo, Amapá, Maranhão, Rondônia, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Alagoas, Roraima.

Quero me cadastrar, qual é a documentação necessária?

Bem, você precisa apresentar RG (identidade), CPF, Ficha de cadastro Habitacional, Holerite dos últimos seis meses, Extrato recente do FGTS, Declaração de Imposto de Renda, Cópia Carteira de Trabalho, Certidão do Estado Civil, Comprovante de Despesas e Declaração do IR. Os Autônomos e Profissionais Liberais devem apresentar os últimos seis extratos bancários e declaração do imposto de renda do último ano.

Quais são os limites de financiamento?

O valor do imóvel corresponde ao maior valor entre a venda e a compra e o valor da avaliação efetuada pela Caixa.

  • Imóvel até R$ 190 mil: no Distrito Federal ou em municípios das regiões metropolitanas ou equivalentes dos estados do RJ e SP;
  • Imóvel até R$ 170 mil: em municípios com população igual ou superior a um milhão ou em municípios-sede de capitais estaduais;
  • Imóvel até R$ 145 mil: em municípios com população igual ou superior a 250 mil ou integrantes de regiões metropolitanas ou equivalentes, inclusive, da Região Integrada do Distrito Federal e Entorno – RIDE;
  • Imóvel até R$ 115 mil: em municípios com população igual ou superior a 50 mil;
  • Imóvel até R$ 90 mil: para demais regiões.

Vale mesmo a pena?

Especialistas afirmam que financiar a compra de um imóvel nos moldes do Minha Casa Minha vida, vale, sim, a pena já que a taxa de juro é subsidiada.  Apesar disso, organização para alcançar a tão sonhada compra da casa própria é essencial. Colocar todas as despesas no papel é fundamental para descobrir o teto do valor das prestações que a família poderá arcar. Além disso, economizar dinheiro durante o tempo em que você está morando de aluguel, por exemplo, é interessante pois permite que você dê uma boa entrada e financie o valor restante por menos tempo.

Recomendados Para Você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+ +